Comunicado Federação Espírita Portuguesa – Eutanásia

Comunicados, Noticias

Perante a aprovação pela Assembleia da República (no dia 29 de janeiro de 2021), da lei que legaliza a eutanásia, a FEDERAÇÃO ESPÍRITA PORTUGUESA reafirma a posição da Doutrina Espírita em defesa da VIDA.
Tendo como um dos princípios fundamentais a preexistência da alma e a sua sobrevivência à morte do corpo físico, o Espiritismo entende a Vida como um processo contínuo de evolução, do qual fazem parte todos os desafios da experiência material, entre os quais se contam a doença e a agonia prolongadas, com a sua razão de ser, dentro dos processos naturais de aperfeiçoamento do Espírito e de aquisição de patrimónios imortais.
O Espiritismo, que tem estudado a condição da alma após a morte, conhece o valor de um último pensamento e esclarece: “mesmo quando não há nenhuma esperança fundada de um regresso definitivo à vida e à saúde, existe a possibilidade, atestada por inúmeros exemplos, de o doente, no momento de exalar o último suspiro, reanimar-se e recobrar por alguns instantes as faculdades! Pois bem: essa hora de graça, que lhe é concedida, pode ser-lhe de grande importância. Desconheceis as reflexões que o seu Espírito poderá fazer nas convulsões da agonia e quantos tormentos lhe pode poupar um relâmpago de arrependimento. O materialista, que apenas vê o corpo e em nenhuma conta tem a alma, é inapto a compreender essas coisas; o espírita, porém, que já sabe o que se passa no Além-Túmulo, conhece o valor de um último pensamento.
Minorai os derradeiros sofrimentos, o quanto puderdes; mas, guardai-vos de abreviar a vida, ainda que num minuto, porque esse minuto pode evitar muitas lágrimas no futuro. – S. Luís. (Paris, 1860.)” (Allan Kardec, O Evangelho segundo o Espiritismo, Cap. V)
Deste modo, a FEDERAÇÃO ESPÍRITA PORTUGUESA apela à prevalência incondicional do valor da Vida e dos interesses do Espírito imortal, sobre o alegado direito de praticar a eutanásia.
“Os desígnios divinos são insondáveis e a ciência precária dos homens não pode decidir nos problemas transcendentes das necessidades do Espírito”. (Emmanuel, O Consolador, Questão 106, psicografia de Francisco Cândido Xavier).

Com as nossas saudações fraternas,

Vítor Mora Féria

Presidente da Federação Espírita Portuguesa
30 de janeiro de 2021

https://cei-spiritistcouncil.com/campanha-amar-a-vida/
https://feportuguesa.pt/em-defesa-da-vida/
https://www.febnet.org.br/wp-content/uploads/2012/11/Livreto-Eutanasia.pdf

Artigo anterior
Campanha  comemorativa dos 160 anos de O Livro dos Médiuns 
Artigo seguinte
1ª LIVE 160 Anos de “O Livro dos Médiuns” 22 reflexões para 2021
Menu